Revista Brotéria

  

Últimos Números

 
Abril de 2017 Volume 184
 
     
Os 60 anos da união Europeia
Paulo Almeida SANDE
A Ásia/Pacífico entre o conflito e o dinamismo
Raquel Vaz PINTO
A Rússia, essa desconhecida
Guilherme d'Oliveira MARTINS
Liberdade de Expressão, liberdade Religiosa, liberdade i...
Gonçalo MATIAS, Rodrigo LOURENÇO e Vasco Pinto de MAGALHÃES, SJ
A missa proibida
Tiago DUARTE
As vítimas dos abusos sexuais na Igreja
HANS ZOLNER SJ
A interpretação das escrituras na Igreja
Francisco MARTINS SJ
Liberdade: uma controvérsia medieval
Carlos Maria BOBONE

Números anteriores:
Abril de 2017 Volume 184Abril de 2017 Volume 184Abril de 2017 Volume 184Abril de 2017 Volume 184

Revista Brotéria

Conselho de Direcção e de Redacção

Contacto António Júlio Trigueiros, SJ
Director
Contacto
Contacto António Vaz Pinto, SJ

Contacto
Contacto Vasco Pinto de Magalhães, SJ

Contacto
Contacto Francisco Sassetti Mota, SJ

Contacto

Conselho de Redacção

Contacto Carlos Capucho

Contacto
Contacto Carlos Maria Bobone

Contacto
Contacto Francisco Malta Romeiras

Contacto
Contacto Francisco Sarsfield Cabral

Contacto
Contacto Guilherme d'Oliveira Martins

Contacto
Contacto Henrique Leitão

Contacto
Contacto Joaquim Sapinho

Contacto
Contacto Manuel Braga da Cruz

Contacto
Contacto Margarida Neto

Contacto
Contacto Miguel Corrêa Monteiro

Contacto

Índice Agosto/Setembro 2018

 Descarregar PDF

AGOSTO/SETEMBRO 2018 - Editorial: Tempo e espaço, unidade e conflito

Quando em 2013, o Papa Francisco postulava na exortação apostólica Evangelii Gaudium alguns princípios de discernimento aplicados à evangelização, estava certamente longe de saber como eles se aplicariam ao momento doloroso que a Igreja está a viver, com o recrudescer das revelações relativas aos abusos sexuais perpetrados ao longo de décadas por parte de membros do clero, em numerosas dioceses, agravadas por uma politica de silenciamento e encobrimento que se revela intolerável em qualquer instituição de b

Ler artigo

AGOSTO/SETEMBRO 2018: Há espaço para o discernimento na tradição?

Somos seres tradicionais. Todos recebemos do passado algo que nos foi entregue; até os artistas mais avant-garde. Do ponto de vista antropológico, a tradição cobre a totalidade de qualquer projeto civilizacional: como construir um aqueduto ou um avião, como cozer um pão ou quando colher o trigo. 

Ler artigo

You are here: Página Inicial